Siga nossas notícias

Bolívia cria o Super Etanol 92

Bolívia cria o Super Etanol 92, que revitalizá as usinas de cana Bolívia cria o Super Etanol 92, que revitalizá as usinas de cana

O governo da Bolívia investe no etanol para melhorar a qualidade da gasolina. A partir de meados de outubro, postos de serviços passarão a comercializar o combustível Super Etanol 92, com gasolina e etanol.
O novo combustível foi oficialmente criado em 15/09 com a assinatura da lei sobre Aditivos de Origem Vegetal, implantada com o objetivo de reduzir gradativamente a importação de gasolina e de diesel.
O 92 do Super Etanol indica que, com ele, a gasolina passa a ter 92 octanas*, de melhor qualidade e maior rendimento. Com o novo produto, os motores tendem a se esforçar menos, a vida útil do veículo aumenta com uso de menos gasolina.

“Este projeto vai permitir a revitalização do setor e da economia em geral, por meio da geração de 15 mil empregos diretos pelo menos 12 mil indiretos, contribuindo, assim, com a redução do desemprego em 0,8 ponto percentual”, diz Luiz Fernando Barbery Paz, presidente da companhia sucroenergética Ingenio Agroindustrial de Cañeros S/A (Unagro), com unidade produtora em Santa Cruz.
A Lei 303/2017-2018, assinada em 15/09 pelo presidente do Estado Plurinacional da Bolívia, Evo Morales, foca a redução gradativa de importação de combustíveis fósseis e objetiva usar o excesso de etanol na produção de açúcar e etanol para processá-lo e obter anidro, a ser empregado como um aditivo para a produção de gasolina de maior rendimento.

Em relato divulgado na imprensa da Bolívia, Susy Dorado, gerente da Associação Boliviana de Fornecedores (Asosur), informou que o novo combustível será comercializado a partir de 15 de outubro próximo.
A quantidade da mistura depende de norma do Governo que deve ser divulgada ainda nesta semana, embora a tendência é de adição de 12% de anidro à gasolina.

 

 

Setembro, 2018.
Fonte: Site Jornal Cana – www.jornalcana.com.br

 

 

* Octana: Octanagem é a medida de resistência do combustível à pressão que ele sofre dentro da câmara de combustão do motor. Ou seja, é a capacidade que ele tem de resistir, em mistura com o ar, ao aumento de pressão e de temperatura sem detonar (isso sem que a faísca de vela tenha sido disparada pelo sistema de ignição). Quanto maior a octanagem, maior será a resistência do combustível à detonação.

 

 

Av. Água Branca, 300 - Piracicaba - SP

Fone: +55 (19) 3437-5700
turbimaq@turbimaq.com.br
Linkedin

PRODUTOS E PROJETOS
Tecnologia e capacidade de produção.

 

POLÍTICA DA QUALIDADE
Gestão baseada na norma ABNT NBR ISO 9001.

TURBIMAQ 40 anos - Paixão movida a vapor